Gestora de presídio é um fenômeno nacional

O complexo penitenciário Anísio Jobim é uma das oito unidades prisionais administradas pela Umanizzare Gestão Prisional, que em pouco tempo se tornou um fenômeno na gestão de presídios no País.

Criada em 2011 em Goiânia, a Umanizzare está em nome de outras duas empresas: Celi Participações S/A, de Regina Celi Carvalhaes de Andrade, e LFJ Participações, de Arleny de Oliveira Araújo e Larissa Freitas de Carvalho.

No ano passado, a empresa mudou sua sede para São Paulo, registrando capital social de R$ 62 milhões.

A Umanizzare administra seis unidades no Amazonas e duas em Tocantins:

Presídio Barra da Grota, Araguaína/TO; Presídio CPP Palmas, Palmas/TO; Unidade Prisional de Puraquequara UPP, Manaus/AM; Instituto Penal Antônio Trindade IPAT, Manaus/AM; Centro de Detenção Provisória de Manaus CDPM, Manaus/AM; Complexo Penitenciário Anísio Jobim COMPAJ, Manaus/AM; Unidade Prisional Itacoatiara UPI, Itacoatiara/AM; Centro de Detenção Provisória Feminina CDPF, Manaus/AM.

ESTÁ DIFÍCIL ACOMPANHAR TODAS AS NOTÍCIAS?

O Antagonista publica mais de 100 notícias por dia. Receba diretamente em seu e-mail, todos os dias, um resumo com as notícias mais quentes e relevantes, além de artigos exclusivos.

Arrow form bottom



Comentários (47)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Marcelo O. Santos

Interessante o fato de serem três mulheres a administrarem essas empresas. Não que uma mulher não possa ser administradora competente, na verdade sobram exemplos de CEOs de sucesso no mundo dos negócios. Mas, em se tratando de uma concessionária de serviço público, seria interessante saber quais são os laços de parentesco e familiares aos quais elas pertencem...


Lygia

Só falta ser uma fachada do PCC, o que não é improvável!


Lygia

Gestão...que gestão? Saindo um suco de laranja e uma investigaçãozinha ai, ó!


Norberto

Falem o que for, mil vezes melhor privatizar do que contratar mais 100 funcionários públicos com suas regalias...


Leandro

Ué? Mas os liberotários não cantam em prosa e verso que a solução pro Brasil é entregar tudo pra iniciativa privada? Meu conservadorismo me diz que o problema não é a receita ideológica e sim o brasileiro mesmo


Flavio Perpetuo

Ganha dos dois lados. Do Governo, onde ganhou a licitação, e da bandidagem, para que possam fazer e desfazer o que quiserem.


Cris Azevedo

UMANIZZARE? Sério?


J

ESSA É A PARCERIA PÚBLICO PRIVADA,TÃO DECANTADA POR POLÍTICOS LADRÕES COMO SERGIO LADRÃO CABRAL.
PARCERIA PÚBLICO PRIVADA,É APENAS A UNIÃO DE POLÍTICOS LADRÕES,COM EMPRESÁRIOS MAIS LADRÕES AINDA AFIM DE ENRIQUECER E DIVIDIREM O LUCRO DA ROUBALHEIRA ENTRE ELES.


SEMPRE

Dinheiro público, nunca iniciativa privada!


Adolpho

Essa história de terceirização de atividades do Estado é mais um meio criado para desvio de dinheiro público. Acontece com hospitais e postos de saúde no Rio, no fornecimento de quentinhas pra presídio e policias, lavagem de roupas e onde mais algum esperto conseguir emplacar a idéia. O Estado brasileiro está onde não deve, pra fazer o parte e reparte e levar algum em campanhas, e não está onde deve, terceirizando pra levar um capilé.
É um Estado incompetente e corrupto!!!...simples assim.