Mr. Samsung, o Odebrecht coreano

O Valor noticia que um tribunal sul-coreano aprovou na manhã desta sexta-feira (horário local) um mandado de prisão de Lee Jae-yong, herdeiro e executivo do conglomerado Samsung.

Lee é acusado de participar de esquema de corrupção que abalou a estrutura política e corporativa da Coreia do Sul e levou ao impeachment da presidente do país.

A Samsung é um conglomerado que vai da produção de produção celulares a plataformas de petróleo.

ESTÁ DIFÍCIL ACOMPANHAR TODAS AS NOTÍCIAS?

O Antagonista publica mais de 100 notícias por dia. Receba diretamente em seu e-mail, todos os dias, um resumo com as notícias mais quentes e relevantes, além de artigos exclusivos.

Arrow form bottom



Comentários (13)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Henry

Isso sem falar que um dos ramos do conglomerado passou a fabricar armamentos, como a mundialmente famosa Bomba Note 7...
-


Rodrigo Monteiro

mas ele foi julgado e condenado?
O Reinaldo de Azeved o vai achar um absurdo isso .

kkkkkkk


Tatu

É o que dá qdo o Estado se mete a fazer negócio, o resultado é delinquência. O nível educacional do coreano é bom razão pela qual provavelmente entenderão o problema e questionarão esse modelo econômico que prega a interferência do Estado nos negócios


Machado

Nunca confiei em pastéis coreanos


Ricardo LawandoWhysky

COMPARAR A BANANIA COM UM PAIS SERIO COMO A K DO SUL É UMA VERGONHA NOS ESTAMOS A ANOS LUZ ATRÁS EM TODOS OS SENTIDO PRINCIPALMENTE EDUCAÇÃO QUEM CONHECE SABE


Sem Sunga

Já tinha ficado clara a maneira de operação da Sem Sunga. Copia descaradamente a Apple e outras empresas, não respeita patentes, tem uma assistência técnica que é uma vergonha, faz produtos de baixo custo que não são dignos nem de existirem.


Maria

1,54 trilhão daria para ajudar cobrir o rombo. Isso em 2015, hoje é muito mais, pois ninguém pagou com certeza. Mas, vão cobrar de quem? Da população. Como? Reforma da previdência, reforma trabalhista... Segundo dados da Receita Federal, em 2014, um grupo com cerca de 71 mil brasileiros ganhou quase R$ 200 bilhões sem pagar nada de Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF). Foram recursos recebidos, em sua maioria, como lucros e dividendos.
Essa isenção da tributação sobre lucros e dividendos foi instituída no país em 1995, durante o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB).


rapidez oriental

Foram rápidos, não ?

Comparativamente, aqui levaria 20 anos !


Kardico

Temos que acompanhar e comparar.


Keyser Söze de Mello

What about China and the USA?

Who watches the watchers?

É como voto.