2 x 1 - Moraes vota a favor da proibição de cultos e missas na pandemia

2 x 1 – Moraes vota a favor da proibição de cultos e missas na pandemia
Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Alexandre de Moraes seguiu Gilmar Mendes e votou a favor da proibição temporária de cultos e missas coletivas durante momentos críticos da pandemia. Até agora, só Kassio Marques votou pela liberação com protocolos sanitários.

“Por entender que proteger as vidas dos fiéis seja talvez a maior missão das religiões, não há nada de discriminatório, de preconceituoso, de inconstitucional, nos decretos que, embasados em dados científicos e médicos, restringem temporariamente os cultos religiosos”, disse.

Antes, ele afirmou que, no passado, os próprios líderes religiosos fechavam os templos.

“Que nos graves momentos das graves pandemias da Idade Média, quando os líderes religiosos perceberam, sem ter o conhecimento técnico e científico de hoje, não sabiam se era bactéria ou vírus, mas perceberam que o isolamento e o distanciamento auxiliavam na cura ou pelo menos na diminuição da propagação da peste, como era chamada, os próprios líderes religiosos determinaram o fechamento das igrejas, determinaram que os fiéis rezassem em casa.”

Após o voto, a ministra Rosa Weber, vice-presidente da Corte e que assumiu a condução do julgamento, declarou um intervalo. O próximo a votar é Edson Fachin.

Leia mais: A prisão do deputado Daniel Silveira, que ofendeu ministros do STF num vídeo, é mais um capítulo da avacalhação da democracia brasileira.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO