2017 pode ser um ano decente

O Estadão ouviu militantes e analistas para tentar prever se o Brasil voltará às ruas em 2017.

Tem a turminha da CUT, do MTST e da UNE, que acha que alguém vai defender o PT, e tem Eugênio Bucci:

“A intensidade (das eventuais manifestações) é difícil prever. A causa, no entanto, já está mais ou menos indicada. Elas vão gritar, em parte, por transparência, por decoro, por ética na política, e vão protestar contra impunidade, contra acordos e conchavos para preservar políticos denunciados.”