Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

3 x 0 - Cármen, Marco Aurélio e Lewandowski rejeitam ação contra Copa América no Brasil

Relatora do assunto no STF, Cármen Lúcia disse que governadores poderão ser responsabilizados; Lewandowski exigiu plano de segurança do governo federal
3 x 0 – Cármen, Marco Aurélio e Lewandowski rejeitam ação contra Copa América no Brasil
Foto: Marcos Corrêa/PR

Os ministros Cármen Lúcia, Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski votaram pela rejeição de uma ação do PSB contra a Copa América no Brasil. Na prática, liberam a realização do campeonato, que começa no próximo domingo (13).

Ao longo do dia de hoje, outros 8 ministros devem votar sobre o assunto, em três diferentes ações.

Relatora da ação, Cármen Lúcia negou seguimento ao processo por considerar que os governadores de Mato Grosso, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Goiás, onde ocorrerão as partidas, não contestaram a transferência do torneio para o Brasil, autorizada por Jair Bolsonaro.

Por isso, não caberia ao STF decidir sobre o assunto, uma vez que a ação tem como alvo o presidente. A ministra deixou claro que a responsabilidade por eventual surto de contaminação entre jogadores e comitivas.

“A definição de competência deste Supremo Tribunal há de ser afastada porque a aquiescência e a autorização para uso dos equipamentos públicos necessários à realização dos eventos desportivos é atribuição autônoma dos Governadores dos Estados, gestores dos equipamentos públicos nos quais se podem realizar os jogos, acolher os times, garantir a segurança no transporte de jogadores e na reunião de torcedores. A eles cabe definir, fazer cumprir e controlar os protocolos para não se ter um ‘copavírus’, fonte de novas infecções e transmissão de novas cepas. São essas autoridades locais que poderão, como antes observado, se for o caso, responder eventualmente, no futuro, pelas consequências comprovadas que vierem a ser por suas escolhas administrativas, sendo sua a responsabilidade direta e imediata pelas decisões que adotarem”, escreveu no voto.

Relator de outra ação sobre o mesmo assunto, Ricardo Lewandowski rejeitou um pedido do PT para vetar a copa no país. Exigiu, no entanto, que o governo federal apresente, em até 24 horas antes do início do campeonato, um plano de segurança para evitar a proliferação do coronavírus.

Leia mais: Enquanto Brasília faz tudo errado, a Crusoé continuará fazendo o certo: fiscalizando o poder.
Mais notícias
Mais lidas
  1. Vai terminar em violência

  2. A 'mídia aliada' do bolsonarismo

  3. A covardia de Bolsonaro

  4. Não existe 2022

  5. Globo defende SBT

Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 13 comentários
TOPO