3×2 – Rosa Weber separa investigações

Atual presidente do TSE, Rosa Weber acompanhou Edson Fachin e Luís Roberto Barroso no voto em favor da competência da Justiça Federal para investigações sobre corrupção ligada ao caixa 2.

Ela propôs a divisão dos casos, para deixar à Justiça Eleitoral apenas suspeitas sobre doações eleitorais não declaradas.

Os próximos a votar são Luiz Fux, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Dias Toffoli.

Moro teve uma conversa decisiva para tentar salvar a Lava Jato. Confira agora

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 69 comentários
  1. Como esperar justiça de um STF, onde boa parte de seus membros fazem politica partidária para um partido de esquerda, que sempre que pode, solta corruptos, e tenta soltar LULA o maior ladrão do mun

  2. Haja anti-eméticos para conter as náuseas para ver e ouvir determinado ministro contra-argumentando o ministro Fux nesse exato momento (16:03 horas). Escrever isso pode, Toffoli?

    1. Pode? Afinal, é apenas uma resposta ANTI-fisiológica no meu próprio organismo, não é ofensa pessoal a ninguém.

    1. Não estou tendo tempo de acompanhar, mas se ele já votou, então vai ser 5×6 contra a Lava Jato. Brasil perdeu.

    2. Tô achando que ele vai ser o voto decisivo mesmo. Ele é bem aleatório, depois do Marco Aurélio, o mais aleatório de todos, que até votar contra posições que tomou anteriormente já votou.

    3. M3rda ou não, ele que decidirá para que lado vai o Seis a Cinco. O demais votos já são antecipadamente conhecidos.

  3. O Lewandowski já quer “contar com o ovo dentro da galinha”, dizendo que a justiça eleitoral já dispõe de instrumentos para punir crimes de caixa 2. Bem, já se sabe o seu voto!

    1. Nunca um Ministro do STF será impeachmado, porque vivemos um modelo de Democracia que o STF deita e roda sobre os outros Poderes. Mandam em tudo.

  4. Parabéns, min. R. Weber! Sinceramente, estava receoso do seu voto. Mas depois do brilhante voto do min. Barroso, não vejo outra saída senão acompanhar aqueles que querem o melhor p/o Brasil.

    1. Que ao menos uma vez na vida os ministros do STF tenham bom senso e não prejudiquem a operação Lava Jato, caso contrário confirmarão ao povo brasileiro que é preciso uma #LavaToga urgentemente!

  5. A esperança é o Celso de Mello. Ele gosta de se declarar “garantista” – na prática é quem tolera os criminosos – mas pode surpreender e votar em sintonia com o interesse da sociedade.

    1. É capaz dele votar contra o Brasil, pelo simples fato de se sentir ofendido em ter o Moro como eventual substituto na sua aposentaria, tão alardeada quando o ex-juiz foi assumir o Ministério.