4 a 2 contra Aécio

Dias Toffoli concluiu seu voto, discordando de Edson Fachin.

Disse o ministro que afastar um parlamentar por determinação do STF é “cassar um mandato parlamentar”.

“Isso é inadmissível.”

Para Toffoli, a aplicação de medidas cautelares não deve criar embaraços ao exercício do mandato do deputado ou senador, “salvo em casos excepcionalíssimos”.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Ler mais 14 comentários
    1. Uai! Cadê os IDIOTAS que dizem que os votos contra Aécio são de petistas, como explicar os votos de Tofolli/Levandovsky a favor de Aécio? São o quê? Mavs. Vigaristas não tem ministro petista quando se trata de proteger a quadrilha que é uma só.

    2. Investiguem as empresas de ônibus de São Bernardo do Campo e entenderão o porquê desse sujeito ter sido nomeado para o Supremo…!!!!
      As principais estão nas mãos de seus familiares, que apoiaram o Lulaluf…!!!

    3. Chega a ser escandaloso, sempre os mesmos votando a favor de bandidos. Gilmar e Lewandowiski também votarão a favor de Aécio, com sabemos. Aliás, Lewandowiski está falando sobre “imunidade parlamentar”, mas as tralhas do STF não consideraram tal imunidade no caso Bolsonaro! Uns parlamentares são mais imunes que outros!

    4. O acolico do Dirceu e serviçal de Gilmar só daria voto medíocre como sempre fez.
      Nem preparo tem p ser juiz qyo mais ministro de STF, não passa de esbirro do governo petista para garantir impunidade dos cumpanheiros bandidos.

    Os comentários para essa notícia foram encerrados.