4 a 3 contra Aécio

Ricardo Lewandowski vota para que o Congresso tenha de avalizar medidas cautelares que impliquem o afastamento de parlamentares.

Por esse entendimento, a Câmara ou o Senado sempre terá a opção de manter ou não decisões do STF envolvendo congressistas.

“Trata-se de um juízo político.”

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 18 comentários
  1. O voto desse velho decrépito era o que eu estava na duvida, assim sendo, 6×5 para o Aécio, ou talvez 7×4, irrelevante o placar final, o importante é que eu perdi meu tempo acompanhando essa palhaçada. Vlw Flw.
    A propósito, belo trabalho do antagonista acompanhando esse julgamento ai, porque eu mesmo dormi 4x ouvindo essa cambada, já que eles falam a mesma coisa 3x e acabam extendendo o voto sem necessidade.

  2. Impressionante. São sempre os mesmos contra e a favor ao Brasil. Como justificar as proteções benesses a um parlamentar que foi eleito pelo voto popular mas se transformou em um corrupto quando assumiu o mandato? Nossos poderes são uma piada pronta. Como sempre digo. A justiça no Brasil é cega mas não é surda. Dependendo da estirpe do meliante engravatado, a balança pende para um lado ou para o outro.

  3. Mais um circo armado. Como eu já disse, um ministro sozinho provoca, para o plenário julgar e livrar A CARA DE TODOS porque o que SERVE PARA UM BANDIDO, SERVIRÁ PARA TODOS. CORJAS, MIL VEZES CORJA! Tudo um teatro armado! SOS FFAA!
    Com licença que vou vomitar, a voz do Gilmar é nauseaBUNDA.

  4. A esperança de que a impunidade de parlamentares faça parte de um passado negro da história política do Brasil está ficando cada vez menor. Essa decisão será um alvará para liberar a corrupção definitivamente. O jeito é não reeleger esses bandidos e torcer para que o futuro seja melhor e menos indigno que o presente.

  5. Vou facilitar para o Antagonista Anarquista: Até o Marco Aurêlio o “Aécio” vira o placar para 5 a 4. Depois vem o voto do Celso de Melo (acho que o “Aécio” faz 6 a 4) e a Carmem vai com a maioria.