ACESSE

Por que o Brasil está se retirando de missão de paz no Líbano

Telegram

Na semana passada, o Ministério da Defesa determinou que o navio de guerra da Marinha deixe a força-tarefa marítima das Nações Unidas no Líbano, a Unifil, criada para acompanhar a retirada das tropas israelenses.

A pasta justificou a retirada alegando que a ONU já delegou as atribuições, atualmente sob comando do Brasil, a outros estados-membros, que vão substituir a capacidade militar brasileira a partir de dezembro.

Questões diplomáticas, porém, foram vitais para a decisão brasileira, informa a Crusoé.

“A força-tarefa incomoda Israel porque contribui para que o Líbano desenvolva sua própria Marinha. De igual modo, os libaneses demonstram desconforto quando percebem que a Unifil pende para o lado israelense. Nos corredores do Itamaraty, diplomatas avaliam que o Brasil perdeu a condição de neutralidade para comandar a Força ao se aproximar politicamente de Jerusalém.”

Leia aqui a reportagem completa.

Leia mais: O DNA da corrupção: “Se gritar pega Centrão, não fica um meu irmão”

Comentários

  • Rodrigo -

    Os libaneses tem um carinho grande e muito respeito com o Brasil. Povo fantástico . Já os militares têm de voltar mesmo porque o puxadinho da saúde está precisando ocupar os cargos com paus mandados.

  • marcelão.mineirinho -

    Estava passando da hora, não estamos dando conta nem do nosso País, e estamos querendo vigiar o dos outros ! rs.rs.rs.

  • zóio -

    Bostonaro pra fazer média com a parte podre dos evangélicos que o elegeu faz média com Israel, ignorando que o mundo é globalizado, e que é muito melhor negociar bem com TODOS.

Ler 24 comentários