500 mil reais em dinheiro vivo

A Odebrecht gastou 500 mil reais para reformar o sítio de Lula. Só em materiais.

A conta foi feita pela dona do Depósito Dias, fornecedora da obra.

Ela disse à Folha de S. Paulo:

“A gente diluía esse valor total em notas para várias empresas, mas para mim todas elas eram Odebrecht”.

Os pagamentos, segundo ela, eram feitos em dinheiro vivo:

“Eu lembro que o Quico [apelido do engenheiro da Odebrecht] ligava para um outro senhor, que orientava sobre como era para fazer as notas. Eu não tinha o telefone, o endereço, nada desse outro senhor. Só sabia que na sexta-feira às três horas da tarde ele passava lá para pagar. Os pagamentos giravam em torno de R$ 75 mil a 90 mil por semana, em dinheiro vivo.

Era uma mala que tinha outros valores também para pagar para os pedreiros, serventes, etc. Ele ia tirando envelopes de papel pardo. Dava para ver que tinha uma organização na mala para ser rápido, pagar o pessoal e ir embora. Ele só fazia isso.”

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200