Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

5x0: Anvisa aprova uso emergencial de coquetel hospitalar da Eli Lilly contra Covid

Medicamentos são administrados por via intravenosa
5×0: Anvisa aprova uso emergencial de coquetel hospitalar da Eli Lilly contra Covid
Reprodução/Anvisa/YouTube

A Diretoria Colegiada da Anvisa acaba de terminar a votação pela aprovação do uso emergencial do coquetel banlanivimabe e etesivimabe contra Covid.

O placar final ficou em 5×0.

O pedido foi feito pela farmacêutica Eli Lilly. Os produtos são anticorpos monoclonais e administrados por via intravenosa – não são comprimidos.

O coquetel não pode ser adquirido em farmácias. A autorização da Anvisa é para uso dentro do hospital, mas não em pacientes que já estejam hospitalizados por Covid ou que precisem de oxigênio ou ventilação mecânica.

Segundo a Anvisa, a eficácia do coquetel foi atestada por estudo clínico que apontou uma redução de 70% nos índices de hospitalização relacionada à Covid e de mortes por qualquer causa.

Na reunião de hoje, o gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes, destacou que o produto não mostrou eficácia contra a variante P1 (a ‘variante de Manaus’).

A incorporação do coquetel ao SUS depende da avaliação do Ministério da Saúde.

Em 20 de abril, a Anvisa aprovou o uso emergencial de outra infusão intravenosa contra a Covid, o coquetel casirivimabe + imdevimabe, da Roche.

Este é o terceiro remédio (ou coquetel de remédios) contra Covid aprovado pela Anvisa, o segundo com uso emergencial. Em março, a agência aprovou o registro do remdesivir.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO