60 vezes Lula

A Folha de S. Paulo se animou com a decisão do TRF-4 de absolver João Vaccari Neto.

Uma reportagem publicada hoje dá a entender que o processo sobre o triplex de Lula se baseia exclusivamente no depoimento de Léo Pinheiro – o mesmo argumento usado pela defesa do comandante máximo da ORCRIM.

Leia um trecho:

“Obtida já nas etapas finais da ação penal contra o ex-presidente Lula, a confissão do empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, deve ser um dos principais elementos para a condenação do petista pelo juiz Sergio Moro, caso sejam aceitos os argumentos do Ministério Público Federal.

Nas alegações finais da Procuradoria na ação sobre o tríplex de Guarujá, última manifestação dos acusadores antes da sentença, o depoimento de Pinheiro, concedido a Moro em abril, é citado cerca de 60 vezes pelos procuradores na argumentação a favor da condenação de Lula.

A confissão de outro ex-executivo da OAS, Agenor Franklin Medeiros, que descreveu o pagamento de suborno pela construtora no âmbito da Petrobras, é mencionada em mais 13 ocasiões”.

Léo Pinheiro confessou o pagamento de propina para Lula. Não há como ignorar a relevância de seu testemunho.

Mas as provas documentais contra Lula abundam: o contrato do triplex – guardado em seu criado-mudo –, as fotografias da visita ao imóvel, as notas fiscais da cozinha, os e-mails sobre a reforma.

A Lava Jato apresentou até mesmo as mensagens relativas à planilha da propina da OAS, mostrando que o valor do triplex foi descontado do butim roubado pelo PT na Petrobras.

A Folha de S. Paulo quer absolver Lula. Não é preciso um delator para perceber isso.

Faça o primeiro comentário