É propina

A batida de hoje da PF foi autorizada por Edson Fachin e Dias Toffoli.

“Ainda não há detalhes sobre os alvos da operação, mas a investigação seria de pagamento de propinas a políticos com foro privilegiato”, diz o Estadão.

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 21 comentários
  1. Falou a palavrinha chave para o gilm$$$r mendes. Ele deve vir correndo de Portugal. Nem o nado estilo crawl, nem de avião, serão tão rápidos quanto a corrida que ele fará para chegar ao pote.

  2. Olha o Dias Toffoli ( Rolando Lero ) jogando para a torcida !!!
    Acho que hoje a tarde ele vota contra a transferência do Sergio Cabral para o RIO , uma vez que o GM , o MAM e RL já garantiram o placar .
    Rolando Lero , toma vergonha na cara , e libera o processo da eliminação do foro privilegiado , que você pediu vistas quando o placar era de 7 x 1 .

  3. Antagonistas, com a vossa competência, clareza e verdade, favor informar quem são esses tais movimentos sociais (partidos políticos travestidos… quem e como são custeados… porquê eles mst/ e outro do Boulos têm territórios “protegidos” como se fossem outra nação…) ??

  4. Foro ‘privilegiato’ – muito bem escrito Antagonistas! É coisa de carcamano mesmo essa excrescência de privilégio. È cosa della máfia política!
    Não corrijam a grafia não, porque o recado, mesmo que inconsciente, está dado.

  5. Vai pra cima PF !
    .
    Agora é a vez de T.
    .
    A PGR Raquel Dodge tem que fazer a 3ª denúncia contra Temer.
    .
    Caso contrário ela estará cometendo crime de prevaricação !!!
    .
    É agora !

  6. Toffoli autorizando batida da PF ???
    Conta outra..
    Só se for pra prender os 3 porquinhos porque eles cagaram na porta do STF em protesto com ele, o MAM, o LEW, e o Celso de Mello..
    Chance zero do Toffoli usar a caneta pra alguma por ra que preste..

  7. O ministro ordenou oito mandados de busca em São Paulo, Ceará e Goiás contra pessoas supostamente ligadas ao senador Eunício Oliveira (MDB), presidente do Senado. A investigação seria de pagamento de propinas a políticos com foro privilegiado.