A agenda nacional é o impeachment

Fernando Henrique Cardoso, neste domingo, defende a necessidade de uma “agenda nacional”, com apoio da sociedade e de alguns partidos, capaz de tirar o Brasil da paralisia:

“Como quem tem a responsabilidade de unir porque foi eleita para conduzir o país (e não uma facção) está com poucas condições para tal, é que se dá a discussão, infausta, mas necessária, dos caminhos constitucionais para sairmos da crise. Não se dá um passo maior sem saber o que vem depois. Daí a necessidade de um consenso nacional para juntarmos forças ao redor de um caminho mais claro para o futuro”.

Ele está certo sobre a necessidade de uma agenda nacional. Mas a ordem dos fatores está errada.

Não dá para discutir a reforma da Previdência ou o corte do gasto público antes do impeachment. Ao contrário: é o impeachment que pode gerar a discussão sobre esses assuntos, unindo aqueles que pensam mais ou menos da mesma maneira.

Sem dar um passo maior, não há um depois.

Faça o primeiro comentário