A assessora de Dilma era a chefe do esquema do Carf

Sabe quem era o petista na roubalheira da Receita Federal?

Erenice Guerra.

A Veja, hoje, tem uma reportagem devastadora sobre a operação Zelotes.

Erenice Guerra, quando ainda era a principal assessora de Dilma Rousseff, na Casa Civil, recebeu um e-mail de seu irmão com o nome de quatro advogados para compor o conselho do Carf. Ela respondeu:

“Estou enviando o currículo dos meninos. Bjs”.

Os quatro meninos se tornaram conselheiros do Carf. E um deles, José Ricardo da Silva, considerado um dos chefes da quadrilha da Receita Federal, se tornou seu sócio depois que ela foi demitida da Casa Civil.

A PF apreendeu um contrato de Erenice Guerra com a Huawei, em que ela se comprometia a prestar “serviços profissionais relativos à defesa fiscal da contraente no âmbito da Administração Tributária Federal”, negociando um débito de 705 milhões de reais da empresa com a Receita Federal. José Ricardo da Silva, que na época ainda era conselheiro do Carf, aparece como seu parceiro na transação, de acordo com o contrato de gaveta assinado por Erenice Guerra.

O menino nomeado para o Carf por Erenice Guerra era o mesmo menino que trabalhava com Erenice Guerra para abater as multas no Carf.

Bjs.

Estou enviando o currículo dos meninos. Bjs