A bancada da chupeta é caso de polícia

Tasso Jereissati, presidente da CAE, ocupa a tribuna do Senado para informar que pediu uma série de esclarecimentos à Polícia Legislativa sobre a baderna da bancada da chupeta na comissão na semana passada.

“Foi caso de polícia, sim.”

Na ocasião, senadores da oposição interromperam os trabalhos, Fátima Bezerra sentou-se à mesa, arrancaram o microfone de Tasso e quase partiram para a agressão dos colegas.

Lindbergh saiu em defesa de Gleisi Hoffmann, citada por Tasso em seu discurso: “Não temos sangue de barata nem teremos”.

200