A bola dividida do Coaf

Jair Bolsonaro não se opõe a retirar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) das mãos de Sergio Moro, em troca de apoio do Congresso à MP que reduziu de 29 para 22 o número de ministérios – a MP caduca em 3 de junho.

“Não me oponho em voltar o Coaf para o Ministério da Economia, apesar de o Paulo Guedes estar com muita coisa. Falei hoje com o senador Fernando Bezerra sobre a votação. Tem um ponto ou outro. Se não aprovar, será uma bagunça. Teremos que ter mais sete ministros”, disse o presidente, em café da manhã com jornalistas.

A transferência do Coaf para o Ministério da Justiça foi uma das principais demandas de Moro ao assumir a pasta. O ministro não tem intenção de abrir mão do órgão, que apavora autoridades em Brasília.

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 43 comentários
TOPO