A chance perdida do impeachment

Michel Temer e Aécio Neves se reuniram para discutir o impeachment de Dilma Rousseff entre setembro e outubro do ano passado.

A reportagem da Folha de S. Paulo sobre o assunto repete o que já foi publicado.

Aécio Neves disse no encontro que, se Michel Temer conseguisse unir o PMDB, o PSDB o apoiaria.

Como o PMDB continuou em guerra, o PSDB refugou.

“PMDB e PSDB dizem que o governo usou a crise para propagar o discurso de que tucanos e peemedebistas também são alvo de acusações de corrupção.

A operação parece ter funcionado.

Pesquisas internas do PSDB mostram que o eleitor não identifica uma mudança no padrão moral do governo quando o PT é substituído pelo PMDB e que isso desencoraja a adesão ao impeachment”.

De fato, a melhor saída para a crise é um governo composto por técnicos de primeiro time e um presidente institucional. No caso, Michel Temer.