A conta-gotas

“Executivos da Odebrecht trabalham para identificar todos os apelidos dados a beneficiários de caixa dois e propina distribuída pelo grupo”, informa o Estadão.

Só agora? Depois de seis meses de conversas com a PGR?

Faça o primeiro comentário