A contagem na reta final do impeachment

Aliados de Michel Temer acreditam que, dos 21 senadores que foram contrários a Dilma Rousseff virar ré no processo do impeachment, seja possível reverter, pelo menos, o voto de Otto Alencar, que não esconde a admiração pelo presidente e, inclusive, participou de evento no Palácio do Planalto no dia da última votação em plenário.

Os votos de Elmano Férrer, Roberto Muniz e Armando Monteiro estão dados, hoje, praticamente como perdidos.

Sendo assim, o impeachment passaria com 59 votos garantidos, podendo esse número chegar a 60 ou a 61, a depender do posicionamento de Otto Alencar e de Renan Calheiros, que ainda não votou no caso do afastamento da petista.