A Copa de Renan

Renan Calheiros, segundo relatório da Lava Jato obtido pela IstoÉ, enterrou a CPI da Copa do Mundo a mando de Léo Pinheiro, dono da OAS.

Uma mensagem de 24 de julho de 2013, trocada por executivos da empreiteira, dizia:

“O requerimento teve assinatura de 186 dep e 28 sen, das 171 e 27 mínimas necessárias. Agora é preciso a leitura em sessão do Congresso prevista para 20/08, mas depende de decisão de Renan. Os parlamentares podem retirar assinatura até meia noite do dia da leitura. Eu já mandei o requerimento anteriormente por email. Abs.”.

Resultado?

Renan Calheiros “articulou no Senado a retirada de assinaturas, o que acabou se consumando em 20 de agosto, quando quatro parlamentares recuaram”.

Faça o primeiro comentário