"A CPI da Covid também terá de ter uma linha propositiva", diz Eduardo Braga

“A CPI da Covid também terá de ter uma linha propositiva”, diz Eduardo Braga
Foto: Pedro França/Agência Senado

O senador Eduardo Braga, do MDB do Amazonasum dos 11 titulares da CPI da Covid, disse a O Antagonista acreditar que a comissão começará a funcionar na próxima semana.

Para o amazonense, que é o líder do seu partido no Senado, não há problema algum em o colegiado funcionar de maneira semipresencial.

“Até audiências de custódia estão sendo realizadas de maneira remota.”

Sobre o escopo da CPI, Braga tem defendido, desde o início das discussões, que os senadores possam investigar “fatos conexos” ao pedido inicial, que foca na conduta do governo federal na pandemia.

“O foco é o governo federal, mas aquilo que tiver nexo nós iremos investigar, seja quem for”, afirmou.

“Mas a CPI também terá de ter uma linha propositiva. Não poderá se restringir a investigações, porque temos providências para resolver”, ponderou Braga, citando como exemplo a falta de medicamentos para o chamado “kit intubação”.

“Precisamos ajudar de alguma forma.”

O líder emedebista discorda de Jair Bolsonaro, que, nesta semana, disse que a CPI servirá de “palanque” em ano pré-eleitoral.

Não creio que haja ambiente para isso. Em um país com mais de 3 mil mortes por dia pela doença, não dá para achar que a CPI vai virar palanque.”

Leia mais: O furo de reportagem de O Antagonista sobre a mansão comprada por Flávio Bolsonaro em Brasília é dissecado na edição desta semana da Crusoé
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO