A culpa é da novela das 8

Duas semanas atrás, Mariz de Oliveira participou do Programa do Jô.

Ele disse que a TV é uma das principais causas da violência no Brasil. Ele argumentou que se as novelas mostrassem “o amor, a solidariedade”, haveria menos assassinatos no país.

Não dá para colocar um homem assim no ministério da Justiça.

30 comentários

  1. Desconfio que esse “peso-pesado” seja o presidente da Natura, patrocinadora oficial do Marinismo, também conhecido como Rede. Não é ela que fala sem parar em novas eleições?

  2. Desconfio que esse “peso-pesado” seja o presidente da Natura, patrocinadora oficial do Marinismo, também conhecido como Rede. Não é ela que fala sem parar em novas eleições.

  3. Nas linhas e nas entrelinhas, sempre as mesmas folhas mortas da Falha de São Paulo. Mas,sim, aceitamos o conselho velado – só que no que concerne à mídia: que sejam enterradas todas essas encarquilhadas chapa-branca.

  4. O Antagonista deveria dar uma chance aos liberais do IMB. São os únicos que não apoiaram Dilma, nem há 2 nem há 10 nem a 100 meses!

  5. Todas essas propostas que envolvem novas eleições gerais ou “começar de zero com um sistema político renovado” partem da premissa de que existe um estoque de candidatos probos e competentes prontos para substituir os políticos que estão no poder e também de eleitores ávidos para votar neles. É a velha crença na solução mágica e instantânea, o papo furado do “ippon” de Collor. Se dermos um golpe na Constituição e fizermos novas eleições, ganha Marina e todo o Congresso que está aí, inclusive Cunha e Renan, voltará com um mandato novinho em folha. Que tal trocar de povo?

  6. “O ideal seria começar do zero, com um sistema político renovado”. Na minha humilde observação, acho correto essa sugestão, acrescentando apenas que, precedida de uma modificação radical na legislação política partidária e eleitoral. O nosso Congresso Nacional está PODRE, não havendo uma forma racional de se trabalhar com parlamentares contaminados com o crime. Até o presente momento, o parlamento só trabalhou a base de propinas e de cargos públicos para assaltar o país.

  7. desempresária , desRio de Janeiro, Necessidade de realidade simplificada e honesta , SEM ROUBO , COM LEIS CUMPRIDAS PELA LEI, FARÁ um Brasil finalmente para crescimento em todos OS NÍVEIS !!!

  8. “Mas não há o que fazer – temos de nos virar com esses aí.” Sei lá rapaz, mas este conformismo me preocupa, concordo que permitir que o pt retorne ao poder por vias diretas ou tortas está fora de discussão, mas ignorar que manter o mesmo esquema não vai resolver coisa alguma, isto não me parece correto. Além do mais um sistema político renovado não significa necessariamente novas eleições, é verdade que o que temos é isto ai, o problema é que isto aí não presta para nada além de preparar uma nova crise, manter o custo Brasil na estratosfera e os brasileiros em vacas leiteiras.

  9. Numa cultura onde ainda vige a Lei de Gerson, os ideais estão muito longe do ideal. Contentemo-nos pois com a realidade possível…

  10. É melhor começar então com uma Folha nova…Basta juntar 1,2 ou 3 jornalistas competentes e fundar(ou copiar) o antagonista…..PS: Parabens pela surra que vcs dão todos os dias na……..Folha..heheheh

  11. E porque nosso Estado não funciona. Por causa de normas criadas por pessoas iguais à Dilma, ao Lula, ao Rui Falcão, ao Marco Aurélio Garcia e ao Gilberto Carvalho. Essa gente deve ser afastada para abrir caminho para a elaboração de novas normas. Depois, num sistema racional, e não nesse conto de fadas da Constituição Federal, se esses abestados voltassem ao governo, não durariam seis meses.

  12. Que idéia ridícula! Vocês acreditam no bom selvagem? É claro que nenhum tipo de organização funcionará se depender de encontrar pessoas boas. Mesmo com gente ruim as boas instituições funcionam. E boa quer dizer bem estruturada, com normas eficazes, não as moralmente edificantes. Estão aí o PCC, a máfia e até o PT para provar isso. Adultos devem encarar a realidade e preparar normas e instituições que funcionem e sobrevivam às pessoas ruins.

  13. Óbvio que tem que começar por aí! A credibilidade nos nomes escolhidos, num primeiro momento, será importantíssima para a virada!

  14. O ideal seria que o governo não tivesse dilapidado nosso patrimonio, que não tivesse deixado a Petrobras em estado de coma e que não tivesse deixado as contas públicas agonizando

  15. Antagonistas, se possível, uso o espaço para publicar o link, da petição pública contra zé abreu. http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR90463

  16. · O termo “Caralho” Há um aspecto interessante e exclusivo da nossa Língua Portuguesa com relação a uma função específica e especialíssima do conhecidíssimo termo “Caralho”. Quando algo de bom ou ruim necessita ser tratado com evidência e ênfase é desnecessário falar ou escrever muito a respeito, bastando dizer: “é bom ou ruim pra Caralho”. Então tudo fica esclarecido. Percebam, senhoras e senhores, que o termo “Caralho” propicia uma funcionalidade linguística de intensificação semântica única e característica da Língua Portuguesa. Desejo a todos, felicidades… Pra Caralho! .

  17. Como já escrevi, o Temer tem que botar todo mundo para trabalhar. Quer ganhar dinheiro, então trabalhe! E isto não vale somente para os encostados que vivem sem precisar do assistencialismo demagógico do Estado, mas vale também para boa parte do empresariado que da mesma forma vive às custas de um capitalismo de estado. E como? Temer acabe com o protecionismo indecente neste país. Abra a economia ao Mundo, exponha estas empresas nacionais e medíocres à concorrência externa. Esta é a única maneira de quebrar este ciclo promíscuo que se estabeleceu entre Governo e empresários. O Brasil ganha.

  18. Gostaria que o O Antagonista, explicasse o porque do Renan Calheiros está agarrado a Dilmanta, que não escuta as ruas e seus eleitores de Alagoas, que não querem Dilmanta no poder, o que será que o governo prometeu ao Renan ?

  19. A Folha ouviu do “pesopesado” da economia o que queria ouvir – começar do zero com sistema político renovado significa novas eleições, tese que só ela defende.

  20. Mas a receita é simples: acabar com o assistencialismo e diminuir a carga tributária das empresas, ou seja, deixar de lado o comunismo que todos sabem nunca deu e nunca dará certo.

Comentários temporariamente fechados.
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.