A diplomacia que matou

A diplomacia que matou
Brasilia 13/11/2019 - Foto: Adriano Machado/CRUSOE

“Se não fosse o governador João Doria, o Brasil não teria vacina alguma”, diz Carlos Alberto Sardenberg.

“Agora, Bolsonaro implora os medicamentos de Modi e tem vergonha de pedir os insumos chineses, esperando que Doria resolva o problema. A vacina ‘chinesa assassina do Doria’ vira a vacina do Brasil, na nova mentira bolsonarista, tentando salvar o que não pode salvar: o fato de que ele desprezou o sofrimento e boicotou a vacina.

Uma diplomacia pragmática salvaria milhares de vidas. Essa outra matou.”

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO