ACESSE

A disfuncionalidade do STF

Telegram

A disfuncionalidade do STF, que tem como consequência mais evidente a insegurança jurídica, teve mais um exemplo ontem, no julgamento dos HCs de Lula na Segunda Turma do tribunal.

Aquele que tentava anular a decisão do STJ foi julgado, mas o do pedido de suspeição de Sergio Moro, não.

No seu lugar, foi julgada uma aberração saída da cachola de Gilmar Mendes — o da libertar Lula até que o HC do pedido de suspeição fosse julgado, depois de ter sido adiado pelo próprio ministro. O final foi feliz para a Justiça, mas é difícil explicar a investidores estrangeiros como esse tipo de coisa pode ocorrer num país minimamente civilizado.

O primeiro passo para garantir a segurança jurídica é julgar os casos que estão nas pautas das sessões de um tribunal, não invenções de última hora — especialmente quando visam apenas a garantir a impunidade de criminosos.

Lula livre e Moro suspeito: será assim no STF? Saiba mais

Comentários

  • PAULO -

    O STF é uma instituição feita para não funcionar de forma Republicana, lá os julgamentos tem tido orientação política, não são todos os Ministros que assim agem, mas está dominado por essa minoria.

  • MARIA -

    A atitude dos ministro do STF tem sido desastrosas...

  • Fátima -

    Tal como lula, Gilmar Mendes pertence à categoria nefasta que conspira contra o país. Dois tumores que precisamos extirpar para nos tornarmos uma Nação desenvolvida e próspera.

Ler 110 comentários