A divisão do Supremo

O Globo, em editorial, condenou a censura imposta ao nosso site:

“O agravamento de tudo deu-se com a decisão tomada por Moraes de determinar que a revista Crusoé e o site O Antagonista retirassem do ar a notícia de que Marcelo Odebrecht, em sua delação premiada, identificara como o próprio Dias Toffoli o ‘amigo do amigo do meu pai’, citado na Lava Jato.

Toffoli, advogado do PT, foi nomeado responsável pela Advocacia-Geral da União por Lula, muito próximo a Emílio Odebrecht, pai de Marcelo. O documento com esta referência terminou retirado dos autos pelo juiz Luiz Antonio Bonat, da Lava-Jato no Paraná, a pedido do Ministério Público, por entender que o fato não tinha relação com a construção da Usina de Belo Monte, no Pará, sob investigação.

Ao ordenar um ato de censura, Moraes atraiu muitas críticas, por óbvio. E o pronunciamento formal da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de contestação técnica do inquérito, amplificou a crise. O pedido de Dodge para que a investigação seja arquivada não foi aceito por Moraes, mas o assunto pode chegar ao plenário da Corte. Provocado pela PGR ou por meio de recursos impetrados contra a censura e o inquérito, relatados pelo ministro Edson Fachin. Quando ficará explícita a divisão do Supremo sobre a questão (…).

Além da visita ilegal do oficial de Justiça à redação dos veículos, houve mandados de busca contra detratores de ministros e a Corte. Mas nada que ponha a ordem constituída e a vida de autoridades em risco, até onde se sabe. Reagir contra calúnias e difamações é previsto em lei, sem ser preciso abrir inquéritos no STF.”

Comentários

  • Massaaki -

    Exatamente. Mas será que não há relação alguma com Belo Monte? Tudo que envolve somas gigantescas de $$$ merece exame mais acurado.

  • Ricardão -

    Mas como assim ?? O fato não tem relação Com a construção da USINA .?

  • HUMBERTO -

    Pois é os "blogueiros" o antagonista estão sentindo na pele a perseguição/difamação que também fizeram ao TL...

Ler 62 comentários