A dúvida do cardeal

Um cardeal falou rapidamente com O Antagonista, em reservado, sobre a situação do padre Robson de Oliveira, investigado na Operação Vendilhões.

Segundo o Ministério Público, a Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), em Trindade (GO), chefiada pelo padre, movimentou R$ 2 bilhões em dez anos.

Ainda de acordo com o MP, o sacerdote e outros investigados usaram laranjas para comprar, com os recursos da associação, imóveis de luxo, fazendas e gado.

Primeiro, o cardeal disse que o caso precisa ser tratado no âmbito da Arquidiocese de Goiânia e junto aos redentoristas de Goiás — a ordem religiosa ao qual o padre investigado pertence.

Depois, questionado sobre o montante movimentado, o cardeal afirmou que “a questão é saber se os recursos foram ou não usados dentro da finalidade da instituição”.

O cardeal ainda está em dúvida.

Ainda nesta tarde, a CNBB divulgará nota sobre o caso.

Mais lidas
  1. PDT acusa Bolsonaro de peculato por compra de leite condensado

  2. Polícia Federal aparelhada?

  3. O bolsonarista Eduardo Cunha

  4. ENTREVISTA: Wilson Lima diz que Pazuello ajuda a 'agilizar demandas', mas que 'ainda falta oxigênio'

  5. Mandetta tem imagem mais positiva, diz pesquisa

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 32 comentários
TOPO