A entrevista de Lula e os suspeitos de sempre

Os suspeitos de sempre, inconformados com o fim da censura à Crusoé e a O Antagonista, estão comparando a agressão que a revista e o site sofreram com o fato de termos apoiado a decisão judicial de não permitir que se fizesse uma entrevista com o presidiário Lula em meio à campanha presidencial.

Os petistas contavam com a entrevista, não sejamos hipócritas, para fazer propaganda eleitoral e tumultuar o processo com ataques às instituições que prenderam o seu chefão e à legitimidade da própria eleição — seria, inclusive, uma forma de tentar contrabalançar o efeito do atentado sofrido por Jair Bolsonaro.

Presidiários não dão entrevistas ao sabor das suas próprias conveniências — isso não é censura, é ordenamento jurídico.

O fato de o fim da censura à Crusoé e a O Antagonista ter servido a que se permitisse que Lula desse entrevista —— fato imediatamente precedido e sucedido por ataques dos suspeitos de sempre à nossa posição na campanha eleitoral — não é coincidência. É uma operação política.

Comentários

  • Ronaldo -

    Pobre pais onde os homens menos espertos no poder consertam relógios usando lupas de box no escuro.(ditado antigo interiorano). Imagine os mais espertos.

  • elisabeth -

    Petistas não tem a mínima decência e vergonha de expor seus pensamentos dando total apoio ao maior criminoso deste país, será que merecemos tudo de ruim ainda?

  • egidio -

    O larápio tem que ir pra uma cadeia de verdade. Chega do spa da federal.

Ler 291 comentários