A “Estrella” do PT

Salim Schahin, em sua delação premiada, está trazendo para a superfície o ex-diretor de Produção e Exploração Guilherme Estrella, considerado o “pai” do pré-sal e até aqui poupado na investigação da Lava Jato.

Estrella era o responsável pela totalidade dos contratos de afretamento de navios-sonda e plataformas. Num depoimento em junho de 2014, Graça Foster informou que a Petrobras possui em operação 96 unidades de produção, metade delas terceirizadas.

Considerando o ‘modus operandi’ do PT,dá para imaginar o tamanho do rombo.

Ih, sujou!

Faça o primeiro comentário