A farra do PCC com a máfia italiana

O PCC e o grupo ‘Ndrangueta, da máfia italiana, lavam dinheiro em seu comércio global de cocaína utilizando restaurantes e pequenos comércios no Brasil e na Europa.

É o que apontam ao menos dez investigações da Guarda di Finanza da Itália abertas nos últimos anos.

Ao UOL, o adido policial italiano em Brasília, coronel Francesco Fallica, disse que o pagamento da máfia italiana para o PCC não se dá por meio do transporte de dinheiro vivo desde a Europa. Na verdade, os criminosos abrem restaurantes e lojas no Brasil e, com o lucro desses negócios, o dinheiro da ‘Ndrangueta abastece os cofres do PCC. O contrário também ocorre.

“O dinheiro já está aqui. ‘Ndrangueta tem uma tradição de infiltração sobretudo nas lojas, lojinhas com muito dinheiro em espécie. Você tem um dinheiro na Europa. Pode ser que passe por um paraíso fiscal, passe para o outro lado. Para fazer um investimento, compra de entorpecente, a gente vai utilizando o dinheiro que já tem”, afirmou Fallica.

E mais:

“Nessa operação de compensação, por exemplo, você aqui no Brasil tem um restaurante italiano. E tem um dinheiro fácil que cai, R$ 100 mil por mês. Depois de tudo pago, tem um dinheiro que é lucro. E esse dinheiro você compra diretamente no lugar, no Paraguai, Uruguai, na Bolívia, muito entorpecente.”

Comentários

  • Enilze -

    Na década de 80 diziam que tínhamos líder sindical forjado no sindicalismo italiano...

  • Joaquim -

    Tenho um pressentimento de que tem gente graúda/ politico envolvido nisso. ALÔ PF !!!!!

  • Asafa -

    Alô, MP e PF. Olho nas redes de academias de ginástica.

Ler 40 comentários