A guerra de versões no ministério de Damares

A guerra de versões no ministério de Damares
Foto: Adriano Machado/Crusoé

O ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos tem se negado a informar a data da abertura de uma sindicância interna para investigar denúncia apresentada pela ex-secretária nacional de Políticas de Promoção de Igualdade Racial Sandra Terena.

Como a Crusoé revelou, Sandra, casada com o blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio e demitida nesta semana da pasta de Damares Alves, fez um ofício apontando “indícios de irregularidades” num convênio do ministério em Sergipe.

A pasta afirma que a sindicância é sigilosa. A informação sobre a data de instauração da investigação é crucial para esclarecer de onde partiu a denúncia sobre as possíveis irregularidades.

A narrativa do ministério contraria a versão da ex-secretária. Segundo Sandra, foi ela própria quem informou a ministra Damares sobre as irregularidades durante uma reunião na quinta-feira (17).

Leia aqui a reportagem de Fabio Serapião.

Leia mais: Combo O Antagonista e Crusoé: comece a ler por apenas R$ 1,90/mês
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 24 comentários
TOPO