​A história dos nadadores só piora

Depois de armar um carnaval e deixar o Brasil, o americano Ryan Lochte mudou sua versão do “assalto” ocorrido no Rio, durante a Olimpíada.

Em entrevista à emissora NBC, ele disse que o táxi em que estava com colegas foi abordado por bandidos em um posto de gasolina — e não teve mais a história de arma apontada para a cabeça.

Além da pena que eventualmente lhe seja imposta, Lochte deveria ser condenado a limpar a piscina verde da Olimpíada.

Faça o primeiro comentário