"A história não é feita por aqueles que têm uma visão autoritária", diz Marina sobre Camargo

Marina Silva respondeu às ofensas de Sérgio Camargo, que a excluiu da lista de personalidades da Fundação Palmares sob o argumento de que ela se declara negra “por conveniência”.

“A gente tem que encarar isso com a altivez de quem sabe que a história não é feita por aqueles que têm uma visão autoritária e que eventualmente estão no poder. A história é feita por aqueles que persistem na democracia e nos valores da civilização”, disse a ex-ministra ao Jornal Nacional.

“Todas as pessoas que foram excluídas com certeza não foram excluídas por serem irrelevantes, mas exatamente pela importância das causas que defendiam. Aqueles que são contrários a tudo que é defesa dos direitos humanos, do meio ambiente, do combate às formas preconceituosas de lidar com o diferente, acabam tentando não ir para o debate, mas para tentar eliminar, ocultar.”

Pelo Twitter, Fernando Henrique Cardoso defendeu Marina.

“É absurdo excluir Marina Silva, entre outras personalidades, da rol das personalidades negras relevantes. Ela é relevante. Como gente e como política. A ela minha solidariedade. Assim como às que não conheço e têm valor”, postou.

Leia mais: Por que a escolha de Bolsonaro para o STF agrada a Renan, PT, PDT...
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 69 comentários
TOPO