A imparcialidade tucana

Tucanos acham que Gianpaolo Smanio, procurador-geral de Justiça de São Paulo, está fazendo um trabalho tão imparcial quanto o de Geraldo Brindeiro, o PGR durante a presidência de Fernando Henrique Cardoso.

Resta saber se ainda continuam com a mesma opinião depois que Smanio decidiu manter na Promotoria do Patrimônio Público e Social o inquérito civil aberto para apurar a suspeita de improbidade de Geraldo Alckmin — delatores da Odebrecht disseram que o ex-governador recebeu 10,3 milhões de reais, via caixa dois, nas campanhas de 2010 e 2014.

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 9 comentários
  1. Mentira. Eles disseram que doaram 10 milhões e não houve contra partida. Vejam o vídeo do delator! É estranho que iniciada a campanha do PSDB que prendam o Paulo Preto com uma denúncia de dois anos atrás e agora tem a MPF babando. E também surge do nada um documento do CIA incriminando o general Geisel e com isto atacando a candidatura de Bolsonaro. E a imprensa, com boa ou má intenção ou movida pela ingenuidade repercutem. Querem o quê? Eleger Ciro ou a rainha das Selvas para acabar de afundar o país?

  2. O MANDATO DELE, por lei, deveria ter acabado em 15/04/2018! O que essa extrovenga ainda está fazendo lá????
    .
    https://www.conjur.com.br/2016-abr-13/gianpaolo-smanio-nomeado-procurador-geral-justica-sp