ACESSE

A lista do impeachment

Telegram

João Amoêdo, em entrevista à Crusoé, listou os motivos que o levaram a defender o impeachment de Jair Bolsonaro:

“Passei a fazer isso a partir de 23 de março, quando ficou claro para mim que temos um presidente sem equilíbrio e responsabilidade para administrar o país e que tem como agenda prioritária sua reeleição. Os exemplos são diários. Bolsonaro minimizou uma crise na saúde que já provocou mais de oito mil mortes, teve um péssimo comportamento contrariando as recomendações da OMS e do Ministério da Saúde quanto a aglomerações, não demonstra solidariedade com as famílias que perderam seus entes, participa de manifestações que pedem a volta do AI-5 e da intervenção militar, promove um sistema de troca de cargos no Congresso com lideranças com histórico de corrupção, flerta com um plano econômico, o Pró-Brasil, que é contrário ao defendido pelo seu ministro da Economia e oposto ao que pregou na campanha eleitoral, promove um ambiente de confronto com as instituições, com a imprensa, com boa parte dos governadores e entre os brasileiros, dispensa ministros sem qualquer justificativa técnica, enquanto mantém outros apenas pelo aspecto ideológico, provoca a demissão do ministro responsável pelo combate à corrupção para tentar interferir na Polícia Federal.”

Leia também: Por que Bolsonaro quer a PF do Rio? (a tentativa 'escandalosa')

Comentários

  • Luiz -

    Decisão completamente política e como tal, oportunista, estava só esperando os acontecimentos para se posicionar. O Novo, como plano B, perde se ficar se comportando igual ao Dóriana.

  • Rosa -

    Resumo de tudo. Melhor, impossível. E partindo do João Amoedo, vale considerar.

  • Orlando -

    Amoedo afirma q descobriu q JB não tinha equilíbrio/responsabilidade para gerir o país em 03/2020. Como descobri bem antes (04/2019), há mais de um ano caí em frustração por ter votado nele=enganador.

Ler 57 comentários