A morte melancólica da prisão em segunda instância

A morte melancólica da prisão em segunda instância
Foto: Reprodução/TV Câmara

A morte do projeto que tentava resgatar a prisão de condenados em segunda instância é melancólica.

A Agência Câmara fez uma matéria para dizer que o tema “ainda divide opiniões na Câmara”.

Os jornalistas da Câmara ouviram a opinião do petista Paulo Teixeira. Ele disse ser contra “mudar o princípio constitucional da presunção de inocência” e quis mostrar preocupação com a superlotação dos presídios brasileiros.

“O Brasil é um dos países com maior população carcerária do mundo. Ao mesmo tempo, o crime é organizado dentro dos cárceres. Nós temos 800 mil presos, sendo que 40% são presos provisórios, que não tiveram sequer uma condenação de primeira instância.”

Leia mais: Jornalismo não é trololó. É investigar, gastar sola de sapato, reportar e mostrar. Blogueiro não faz isso; repórter, sim.
Mais notícias
TOPO