A notícia-crime de Moro

Sergio Moro, em entrevista ao Estadão, explicou por que encaminhou a Deltan Dallagnol o nome de uma testemunha:

“A mensagem que dizem ser a mais delicada em relação a mim, o que é? É uma notícia-crime. Alguém informa que tem informações relevantes sobre crimes e eu repasso para o Ministério Público. Isso está previsto expressamente no Código de Processo Penal, artigo 40, e também no artigo 7 da Lei de Ação Civil Pública, que diz que ‘quando o juiz tiver conhecimento de fatos que podem constituir crime ou improbidade administrativa ele comunica o Ministério Público’. Basicamente é isso, eu recebi e repassei. Porque eu não posso fazer essa investigação.”

E mais:

“As pessoas ouviam histórias verdadeiras, plausíveis e, às vezes, histórias fantasiosas. E, muitas vezes, em vez de levar ao Ministério Público, levavam a mim. O que a gente fazia? A gente mandava para o Ministério Público. Mandava normalmente pelos meios formais, mas, às vezes, existia uma situação da dinâmica ali do dia, naquela correria, e enviava por mensagem.”

Comentários

  • Polistyca -

    O PT é Kitsch.

  • Coroinha -

    Com MORO por toda a trajetória. Não mexam com ele! O General Heleno já deu o recado. Querem outro?

  • Carlos -

    100% Moro. Chupa lula, presidiário, porco, mijado, escroto, decadente, seus filhos tudo perderão, não passam de burros enfeitados...

Ler 30 comentários