A onda Bolsonaro nos estados: 14 governadores eleitos aliados

A onda que elegeu Jair Bolsonaro presidente, além de adentrar Câmara e Senado, respingou nos governos estaduais.

Candidatos do PSL, PSC e Novo, partidos sem expressão no âmbito nacional até então, colaram suas imagens em Bolsonaro e elegeram seis governadores.

As duas maiores surpresas vieram do Sudeste (no 2º turno): Wilson Witzel, no Rio, e Romeu Zema, em Minas. O resultado foi ainda mais surpreendente para Zema, que colocará o Partido Novo, em sua primeira disputa eleitoral, à frente do terceiro estado mais rico do país (e também um dos mais endividados).

São Paulo continuará sob o comando dos tucanos. Em votação apertada, João Doria derrotou Márcio França e tornou-se o novo dono do PSDB. É um tucano estranho no ninho, porque odiado pelos caciques no partido de caciques e declaradamente antipetista — e bolsonarista de última hora.

Já o Rio Grande do Sul seguiu a tradição de não reeleger governadores. José Ivo Sartori, do MDB, perdeu a disputa para o tucano Eduardo Leite, ex-prefeito de Pelotas.

No Nordeste, o PT do presidiário Lula manteve e hegemonia, elegendo três governadores no 1º turno (Rui Costa na Bahia, Camilo Santana no Ceará e Wellington Dias no Piauí) e uma governadora no 2º turno (Fátima Bezerra no Rio Grande do Norte). No Maranhão, Flávio Dino enterrou o clã Sarney e garantiu sua reeleição. Agora há o clã Dino.

Balanço: Bolsonaro terá pelo menos 14 governadores aliados.

Operação Lava Toga: a chance de limpar o Judiciário. SAIBA MAIS

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Fernando disse:

    Bom porque será mais fácil pra implantar as medidas de segurança pública, já no nordeste, os petralhas vão dificultar.

Ler comentários
  1. Marcelo disse:

    Houve onda alguma, cretino! O povo tomou consciência e acabou para os comuno-internacionalistas! É melhor Jair se acostumando!

  2. Geraldo disse:

    Para quem achava que Bolsonaro não teria governabilidade, ele já conta com maioria na câmara e no senado agora os governantes, olha que ele não assumi ainda.

  3. carlos disse:

    Ainda não entenderam, Amoedo nunca será presidente. Carisma zero, idéias dissimuladas, penetração popular nula. coragem, nunca teve nenhuma, firmeza de gelatina. Esqueçam esse cara gente.

  4. Claudio disse:

    Boa notícia para alicerçar ou ajudar mudanças efetivas.

  5. carlos disse:

    O Antagonista ainda não descobriu que Bolsonaro não é onda, é tsunami.

  6. Nova disse:

    Só se largarem o isentismo. Nunca chegarão ao planalto se continuarem sendo o novo PSDB

  7. VELHO disse:

    O Novo é propriedade do Banco Itaú, até a cor do partido, o laranja, é a cor do Itaú. O Novo é globalista, esquerdista, e defende a agenda 2030 da ONU. Itaú financia a agenda esquerdista no Bra

    1. Bolsonaro esmagou os partidos , inclusive abortou o Novo, que mal havia nascido. Zema foi um oportunista que usou o Bolsonaro (sem permissão), é um enganador, jeca e está perdidinho.

  8. rs. disse:

    Só precisam urgentemente dispensarem o Amoedo e suas ideias.