A operação na Receita para blindar Flávio Bolsonaro

A operação na Receita para blindar Flávio Bolsonaro
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Na Crusoé, o jornalista André Spigariol traça a cronologia da operação na Receita Federal para blindar Flávio Bolsonaro no caso do rachid operado por Fabrício Queiroz.

Documentos da Receita e do Ministério da Economia obtidos pela Crusoé confirmam que o governo de Jair Bolsonaro trabalhou ativamente nas demandas das advogadas de Flávio para blindar o filho 01 do presidente.

No primeiro encontro, as advogadas narraram ao presidente da República a suposta existência de uma organização criminosa dentro da Receita Federal que teria acessado indevidamente os dados de Flávio, posteriormente usados como prova na investigação do rachid. Naquele mesmo dia 25 de agosto, as advogadas de Flávio entregaram um pedido de ‘apuração especial’ na Receita sobre o caso. Luciana Pires, então, foi aconselhada a protocolar a petição no dia seguinte, 26 de agosto, o que foi levado a cabo. Ela e a sócia, Juliana Bierrencach, se encontraram pessoalmente com José Tostes, secretário da Receita Federal. A partir de então, a Abin passou a acompanhar o caso — posteriormente Ramagem entregou às advogadas dois relatórios para auxiliar na defesa de Flávio.”

Leia aqui a íntegra. Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.

Leia mais: A causa desse desgoverno é política, como mostra a Crusoé desta semana.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO