A origem dos conselheiros dos “tribunais de faz-de-conta”

Antes de ingressarem nos tribunais de faz-de-conta, 80% dos conselheiros eram políticos ou trabalhavam para eles. Veja a origem de quem fiscaliza o uso de nosso dinheiro:

107 foram deputados estaduais

62 foram secretários estaduais

48 foram vereadores

37 foram dirigentes de empresas públicas, autarquias ou entidades de administração indireta

29 foram secretários municipais

22 foram prefeitos

17 foram procuradores-gerais

16 foram deputados federais

9 foram vice-prefeitos

3 foram senadores

2 foram ministros

1 foi governador

O levantamento é da Transparência Brasil e foi publicado pelo Estadão.