ONU, PT, jornalistas: um roteiro combinado

Era esperada a articulação da esquerda em nível nacional e mundial para vitimizar Lula e tentar pressionar a Justiça brasileira a infringir a lei e permitir que o corrupto e lavador de dinheiro seja candidato ao Planalto.

Na terça-feira, Lula assinou um artigo cheio lorotas no New York Times, repetindo que foi vítima de um julgamento político;

Ontem, PT e MST fizeram aquele teatro na frente do TSE, como se o tribunal fosse impedir o registro da candidatura do condenado, um ato burocrático a ser legalmente anulado no seu devido tempo;

Hoje, esquerdistas que aparelharam o Comitê de Direitos Humanos da ONU soltaram uma “recomendação” em favor da candidatura do condenado, fato imediatamente alardeado por petistas da imprensa brasileira e francesa (o petista Paulo Paranaguá, editor para a América Latina do Le Monde, mais precisamente) como uma “liminar” das Nações Unidas a ser imposta à Justiça brasileira.

O roteiro estava todo combinado, claro.

Comentários

  • Rene -

    Esse pessoal ativista, daqui e de fora, têm como objetivo colocar em cheque nossas instituições. Nossas autoridades nos três poderes têm obrigação de combatê-los utilizando essas instituições.

  • José -

    O Brasil precisa sair da ONU o quanto antes, por que virou um escritoriozinho de quinta categoria que não serve para mais nada, foi invadida por comunistas, pseudos defensores dos direitos humanos.

  • Gilson -

    Até hoje nao consegui entender porque a justiça brasileira nao cancelou o registro do PT como partido. Três tesoureiros condenados e a quadrilha continua atuando livre, leve e solta.

Ler 152 comentários