A passos largos para trás

O Antagonista se orgulha de ter ajudado a trazer o TCU para o primeiro plano do noticiário. Foi graças ao trabalho dos auditores e do procurador de contas junto ao tribunal, Júlio Marcelo de Oliveira, que as pedaladas fiscais foram identificadas, esquadrinhadas e resultaram na rejeição das contas de Dilma Rousseff — rejeição que se deveu também à pressão dos cidadãos devidamente informados pela imprensa.

A Veja noticia, contudo, que ministros do TCU querem fugir da luz do sol, sob os auspícios de José Múcio. Depois do carnaval, eles votarão uma resolução para colocar sob sigilo “todas as etapas da análise das contas do governo no TCU até que sejam julgadas pelos ministros”.

As instituições brasileiras caminham a passos largos para trás.