A PF de Moro

“Ao aceitar o convite para ser ministro do governo de Jair Bolsonaro, Sergio Moro deu de ombros para os ataques que, ele sabia, viriam em seguida”, diz a Crusoé.

“Resolveu enfrentá-los por entender que, no cargo, poderá amplificar os avanços obtidos pela Lava Jato no combate à corrupção.

Em breve, ao escolher quem vai comandar a PF, o juiz deve dar mais um passo contra a corrente de críticas. O motivo está no nome de quem ele deverá, ao que tudo indica, convidar para o cargo. Pessoas próximas de Moro apostam que a escolhida será a delegada Erika Mialik Marena.”

Leia a reportagem completa aqui.

Comentários

  • francisca -

    Quebrou o pau na universidade de Santa Catarina,mostrou as entranhas da corrupçao de quem dirigia a mesma.Depois pediu mudança de cidade por causa das ameaças dos esquerdalhas que perderam a boquin

  • Davi -

    A melhor opção!

  • Mario -

    O cargo de ministro da justiça é um cargo que pode ser ocupado por um tecnico ou um político. Ao escolher o Moro, Bolsonaro optou por um nome técnico. Sem esse papinho de que Moro virou politico.

Ler 80 comentários