À PF, empresário acusado de coordenar compra de respiradores nega amizade com Wilson Lima

Apontado pelos investigadores como homem de confiança de Wilson Lima, o empresário Gutemberg Leão Alencar negou à Polícia Federal “qualquer relação de amizade” com o governador do Amazonas.

Em depoimento, obtido por O Antagonista, ele disse apenas que, na eleição de 2018, “participou da campanha de Wilson Lima fazendo a interlocução com agentes políticos do interior do Amazonas”. Mas que, finalizada a campanha, nem “sequer foi convidado para a posse”.

“Mesmo com a posse de Wilson Lima continuou a não ter qualquer vínculo comercial ou de amizade; que somente foi ao Palácio do governo depois de um ano e quatro meses pedir uma audiência com o governador porque se aproximava a data limite de filiação partidária.”

Segundo Gutemberg, não houve pedido do governador para a compra de respiradores da Vineria Adega ou da Sonoar, empresas envolvidas na fraude. E que apenas sugeriu a importação dos equipamentos “por obrigação humanitária”.

O empresário afirmou que, enquanto aguardava a audiência com Wilson Lima, deparou-se com o então secretário de Saúde, Rodrigo Tobias, e sugeriu que o governo importasse os equipamentos e que poderia buscar apoio junto a empresas da Zona France de Manaus.

“Que passados alguns dias recebeu uma ligação do Dr. Tobias falando dessa ideia, se o declarante poderia ajudar e se poderia ir até o seu gabinete. Que atendeu o pedido e foi até o Senhor Rodrigo Tobias com o único interesse de ajudar a cidade e o Amazonas; que foi por uma obrigação humanitária tendo em vista o estado de calamidade pública.”

Leia mais: Marco Aurélio e o caso André do Rap: confira os desdobramentos com informações exclusivas
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 2 comentários
TOPO