A PF que preocupa (2)

Se Rodrigo Janot fez uma coisa certa, entre tantas erradas, foi arquivar a investigação contra Antonio Anastasia na Lava Jato. Nada havia de remotamente concreto contra o tucano, a não ser uma história mal contada por um empregado de Alberto Youssef, o doleiro pródigo em detalhes, de que havia entregue dinheiro a uma pessoa parecida com Antonio Anastasia.

A PF, no entanto, pediu ao STF para que seja estendido o prazo para que Antonio Anastasia seja investigado. Baseada em quê? Numa denúncia de uma “cidadã comum” feita ao Gabinete Pessoal da Presidência da República em janeiro deste ano, segundo o Estadão. Por que uma “cidadã comum” faria uma denúncia dessas ao Gabinete da Presidência da República? E mais, se fosse tão “comum” assim, essa pessoa teria acesso ao Gabinete Pessoal da Presidência da República?

Repetimos: os movimentos da PF não apontam para uma boa direção.

Faça o primeiro comentário