A PF que preocupa

Os últimos movimentos no interior da Polícia Federal são muito ruins para a condução dos inquéritos da Lava Jato que comprometem Lula. Podemos citar o afastamento no curto prazo do delegado Eduardo Mauat, a falta de interesse em investigar as anotações do caderno vermelho do irmão de José Dirceu e a promoção de gente que ajudou a acobertar os aloprados, em 2006.

O Antagonista espera que os procuradores e o juiz Sergio Moro tenham traçado uma estratégia eficaz para deter quem tenta melar a operação.

Faça o primeiro comentário