A prata de Dilma

“O corte de gastos não chegou às cozinhas dos palácios presidenciais”, informa Mônica Bergamo.

“O governo federal vai gastar mais de R$ 215 mil na compra de itens de prata como 22 “réchauds” (recipientes para manter a comida quente) orçados em mais de R$ 4.300 cada um, dez colheres de servir ao custo individual de R$ 303 e cinco espátulas para bolos com preço unitário calculado em R$ 1.166.

Os utensílios serão usados no Palácio do Planalto e nas residências oficiais do Palácio da Alvorada e da Granja do Torto”.

Maria Antonieta na guilhotina

200