A pressa da madame

A madame tinha “uma certa intimidade” com o empreiteiro.

A madame era Marisa Letícia, o empreiteiro era Léo Pinheiro, dono da OAS.

A intimidade entre os dois foi relatada à Lava Jato por Armando Dagre, sócio da empresa que fez a reforma do triplex da madame no Guarujá.

Segundo o Estadão, Armando Dagre “contou que estava reunido com engenheiros da OAS para uma vistoria no imóvel quando chegaram Marisa, Fábio, Paulo Gordilho e Léo Pinheiro”.

A madame inspecionou as obras e “animou-se com a vista para a praia das Astúrias”. Paulo Gordilho, da OAS, concluiu:

“Então precisamos apressar a instalação da cozinha”.