A QUADRILHA QUE REPASSAVA PROPINA

A Operação Irmandade conseguiu identificar todos os membros da quadrilha de Adir Assad, o que abre uma nova frente de investigação poderosa para se chegar aos políticos beneficiados por diferentes esquemas de corrupção.

O Antagonista sempre alertou sobre a importância de Adir, que, agora se sabe, agia em parceria com o irmão Samir Assad e os sócios Marcello Abbud e Mauro Abbud.

Segundo o MPF, “esses quatro acusados utilizaram durante anos uma cadeia de empresas de fechada especializada em fornecer recibos falsos e notas fiscais frias para grandes construtoras”.

Só na Andrade Gutierrez, a quadrilha libanesa movimentou em suas contas mais de R$ 176 milhões em propinas das obras dos estádios da Copa do Mundo de 2014, do Comperj e da Ferrovia Norte-Sul.

Faça o primeiro comentário