A saída da Odebrecht

O Estadão:

“Um dos três delatores ligados ao ‘banco da propina da Odebrecht’, o empresário Luiz Augusto França, afirmou que executivos da empreiteira sugeriram que, por causa das investigações da Operação Lava Jato, ele e seu sócios Vinicius Borin e Marco Bilinski saíssem do Brasil rumo a países que não tivessem Cooperação Internacional. Luiz Augusto França disse à força-tarefa da Lava Jato que a conversa começou com Fernando Migliaccio e continuou com Felipe Montoro, executivos da empreiteira”.

Como não definir a Odebrecht como uma organização criminosa?

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200